RESUMO DA VIDA DE JESUS CRISTO

· PREGAÇÕES
Autores
A vida de Cristo é recheada de informações. Este estudo é um resumo da sua vida,  momentos de sua jornada, um apanhado de informações que nos faz refletir sobre o que somos e o que temos feito com a nossa própria existência. A ideia deste estudo é você relembrar do começo ao fim tudo que Jesus passou e dessa forma trazer a memória as emoções que sentimos quando conhecemos a sua história, seu poder e seu amor. Boa leitura.


O nascimento – Mateus 2: 11
11 – E, entrando na casa, acharam o menino com Maria sua mãe e, prostrando-se, o adoraram; e abrindo os seus tesouros, ofertaram-lhe dádivas: ouro, incenso e mirra. 12 E, sendo por divina revelação avisados em sonhos para que não voltassem para junto de Herodes, partiram para a sua terra por outro caminho. 13 E, tendo eles se retirado, eis que o anjo do Senhor apareceu a José em sonhos, dizendo: Levanta-te, e toma o menino e sua mãe, e foge para o Egito, e demora-te lá até que eu te diga; porque Herodes há de procurar o menino para o matar.

O Batismo – Mateus 3:14
14 – Mas João opunha-se-lhe, dizendo: Eu careço de ser batizado por ti, e vens tu a mim? 15 Jesus, porém, respondendo, disse-lhe: Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então ele o permitiu. 16 E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele. 17 E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.

Observações: Se observarmos o texto com a devida atenção, verificamos que o batismo de Jesus não foi um mero ritual. Foi para cumprir toda a justiça de Deus, verso 15, o que indica que aquele ato era uma confissão pública de compromisso assumido. 

Vemos também que foi por imersão, verso 16. Jesus saiu da água, o que significa que o envolvimento era total e irrestrito. Não houve partes ou particularidade da vida de Jesus que tenha ficado de fora do compromisso messiânico. A totalidade do ser se entregara para a missão assim como deveríamos nos entregar integralmente, sem restrições, ao Senhor que nos comissiona.
Além disso, vemos que o batismo de Jesus foi um cerimonial promovido pela ação do Espírito Santo, verso 16. Jesus estava totalmente revestido de unção e de poder do Espírito Santo, como nós deveríamos estar hoje, como igreja, para realizar as obras que realizou e para ministrar a sua graça salvadora em cumprimento da profecia de Isaías, como nos indica  Lucas 4.17-21.

Uma última peculiaridade do batismo de Jesus, que deveria ser realidade em nosso batismo, foi a alegria que aquele momento proporcionou ao coração de Deus. Jesus realmente abdicou de seus interesses para assumir o propósito de Deus.

A tentação – Mateus 4.1-11:
1     ENTÃO foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. 2     E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome; 3     E, chegando-se a ele o tentador, disse: Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães. 4     Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus. 5     Então o diabo o transportou à cidade santa, e colocou-o sobre o pináculo do templo, 6     E disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te de aqui abaixo; porque está escrito: Que aos seus anjos dará ordens a teu respeito, E tomar-te-ão nas mãos, Para que nunca tropeces em alguma pedra. 7     Disse-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus. 8     Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles. 9     E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. 10     Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás. 11     Então o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos, e o serviam.

Por mais absurdo que pareça, era propósito de Deus aquela experiência controversa na vida de Jesus, assim como muitas vezes o é em nossas vidas, verso 1.

Observações: A tentação exigiu de Jesus preparo e firmeza espiritual, verso 2, visto que foi um confronto direto com o diabo. O mesmo nos é exigido hoje. Satanás insiste em nos induzir, como tentou fazer com Jesus, à soberba, à idolatria, à apostasia e a pratica sucessiva de pecados, seja pela banalização dos conceitos ético-cristãos ou pela admissão de uma postura sociológica que cristianiza costumes antagônicos a Palavra de Deus.

A vitória de Jesus, que será também a nossa vitória, foi pela Palavra de Deus, a partir do momento que vivemos o que temos aprendido de Deus, nos tornamos fortes para vencer quaisquer tentação.

O Getsêmane – Mateus 26.36-46:
36     Então chegou Jesus com eles a um lugar chamado Getsêmani, e disse a seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto vou além orar. 37     E, levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se muito. 38     Então lhes disse: A minha alma está cheia de tristeza até a morte; ficai aqui, e velai comigo. 39     E, indo um pouco mais para diante, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres. 40     E, voltando para os seus discípulos, achou-os adormecidos; e disse a Pedro: Então nem uma hora pudeste velar comigo? 41     Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca. 42     E, indo segunda vez, orou, dizendo: Pai meu, se este cálice não pode passar de mim sem eu o beber, faça-se a tua vontade. 43     E, voltando, achou-os outra vez adormecidos; porque os seus olhos estavam pesados. 44     E, deixando-os de novo, foi orar pela terceira vez, dizendo as mesmas palavras. 45     Então chegou junto dos seus discípulos, e disse-lhes: Dormi agora, e repousai; eis que é chegada a hora, e o Filho do homem será entregue nas mãos dos pecadores. 46     Levantai-vos, partamos; eis que é chegado o que me trai.

Observações: Este foi um momento de angústia e de profunda anciedade.
Muitas vezes nos sentimos como Jesus, mas diferente dele, reagimos com lamúrias, com questionamentos e com blasfêmias reclamando da solidão. Muitas vezes nos vemos pressionados pelo desafio de resistir e vencer, apesar das cicatrizes que ficarão, ou de ceder e nos retirarmos covardemente para nos entregarmos a mediocridade espiritual.

Para Jesus, o Getsêmane foi um momento de resignação, verso 42, como deve ser para nós. Todo o cristão tem o seu Getsêmane. É o momento no qual é testada a nossa capacidade de resignação, bem como a nossa fibra espiritual, como Jesus, devemos resistir e vencer a angustia.

Depois disto Jesus passou por experiências amargas no Sinédrio, o tribunal supremo dos judeus que impunha obediência ao sistema mosaico, e diante de Pilatos, o governador romano representante de César na Palestina, chegando ao momento último de sua trajetória messiânica, que foi…


A Crucificação – Marcos 15.21-41:

21     E constrangeram um certo Simão, cireneu, pai de Alexandre e de Rufo, que por ali passava, vindo do campo, a que levasse a cruz. 22     E levaram-no ao lugar do Gólgota, que se traduz por lugar da Caveira. 23     E deram-lhe a beber vinho com mirra, mas ele não o tomou. 24     E, havendo-o crucificado, repartiram as suas vestes, lançando sobre elas sortes, para saber o que cada um levaria. 25     E era a hora terceira, e o crucificaram. 26     E por cima dele estava escrita a sua acusação: O REI DOS JUDEUS. 27     E crucificaram com ele dois salteadores, um à sua direita, e outro à esquerda. 28     E cumprindo-se a escritura que diz: E com os malfeitores foi contado. 29     E os que passavam blasfemavam dele, meneando as suas cabeças, e dizendo: Ah! tu que derrubas o templo, e em três dias o edificas, 30     Salva-te a ti mesmo, e desce da cruz. 31     E da mesma maneira também os principais dos sacerdotes, com os escribas, diziam uns para os outros, zombando: Salvou os outros, e não pode salvar-se a si mesmo. 32     O Cristo, o Rei de Israel, desça agora da cruz, para que o vejamos e acreditemos. Também os que com ele foram crucificados o injuriavam. 33     E, chegada a hora sexta, houve trevas sobre toda a terra até a hora nona. 34     E, à hora nona, Jesus exclamou com grande voz, dizendo: Eloí, Eloí, lamá sabactâni? que, traduzido, é: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? 35     E alguns dos que ali estavam, ouvindo isto, diziam: Eis que chama por Elias. 36     E um deles correu a embeber uma esponja em vinagre e, pondo-a numa cana, deu-lho a beber, dizendo: Deixai, vejamos se virá Elias tirá-lo. 37     E Jesus, dando um grande brado, expirou. 38     E o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo. 39     E o centurião, que estava defronte dele, vendo que assim clamando expirara, disse: Verdadeiramente este homem era o Filho de Deus. 40     E também ali estavam algumas mulheres, olhando de longe, entre as quais também Maria Madalena, e Maria, mãe de Tiago, o menor, e de José, e Salomé; 41     As quais também o seguiam, e o serviam, quando estava na Galiléia; e muitas outras, que tinham subido com ele a Jerusalém.

Observações:Jesus não apenas nos ordenou a tomada da cruz, como ele mesmo tomou a cruz para a nossa salvação. 

Ele foi humilhado, porque muitos seriam humilhados. Sofreu muitas dores, porque muitos sentiriam dores.
Foi traído, porque muitos de nos também somos traídos. Foi condenado, por que muitos serão condenados ainda que inocentes.

Às 09h00 crucificaram a Jesus. Primeiro pregaram as suas mãos com cravos de 12 a 15cm no patíbulo. Eram quatro marteladas para se perfurar cada mão e mais oito em cada cravo para se perfurar e prender bem cada mão na madeira. Depois, com desprezo e brutalidade, pregaram o patíbulo na estaca vertical, colocando uma minúscula banqueta pontiaguda para que ele sentasse, evitando assim um colapso devido as contorções do corpo e postergando a agonia e o sofrimento. Em seguida, juntaram-lhe os pés, pregando um no outro com oito marteladas, para então pregarem os dois na madeira com mais doze marteladas. Por fim, levantava-se a cruz deixando o crucificado exposto ao causticante sol da Palestina.

A morte na cruz era por asfixia mecânica ou por hemorragia, visto que para respirar era necessário se levantar o corpo, dilacerando as mãos e os pés, a cada movimento, bem como comprimindo cada vez mais a caixa torácica sempre que se respirava um pouco mais fundo.

Queriam um milagre para que pudessem crer, visto que não foram capazes de entender que o milagre era a própria cruz. Na cruz reside o milagre da salvação e do perdão de pecados, versos 29-32.

O Texto informa que do meio dia até às três horas da tarde a Terra escureceu. A ciência afirma ser impossível pensar em um eclipse na ocasião por ser período de lua cheia. John Stott, no livro A Cruz de Cristo, diz que aquela escuridão era uma espécie de símbolo externo das trevas espirituais que envolveram a Jesus naquele momento.

Às três horas da tarde Jesus clama em alta voz: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste”, citando o Salmo 22.1. Um terrível grito de abandono, o sentido é de deserção mesmo, indicando que naquele momento Jesus entendera que se havia consumado o propósito divino para a nossa salvação, sentindo na própria carne o peso da justiça de Deus e satisfazendo-a, para a nossa justificação. 

As pessoas ao redor não compreenderam o que se passava e esperavam que Elias, o profeta, viesse para salvar a Jesus. Mas não há profeta, pastor, guru, santo ou papa capaz de nos salvar. A nossa salvação só é possível no Cristo crucificado e ressuscitado, versos 33-36.

Jesus morreu. O véu do Templo se rasgou de alto a baixo dando início a uma nova aliança; o pacto no sangue que nos purifica de todo o pecado. A cruz foi um momento de dor, de humilhação, de desamparo para que na realidade pudesse ser o momento de maior manifestação de amor e de redenção. O cruento momento da cruz é o momento da vitória.

Se Cristo não padecesse a morte na cruz não haveria vitória para celebrarmos. O pecado nos teria derrotado a todos.


Texto baseado em várias pregações retiradas da internet e da bíblia.
TAG: RESUMO DA VIDA DE JESUS CRISTO

7 Comentários

Comments RSS
  1. PROJETO NOVO IMPULSO

    A ordem é “Ide por todo mundo e pregai o evangélio” Parabéns é isso ai, evangelizar sempre, falr do nosso Deus.
    A paz

  2. Anonymous

    Que sejamos humilde como jesus e cresçamos como cristão. as tentações são grande, mais a vitória é mereçedora do sacrifício.

  3. Anonymous

    Que sejamos humilde como jesus e cresçamos como cristão. as tentações são grande, mais a vitória é mereçedora do sacrifício.

  4. dr_irena

    gostaria que comentassem também a respeito da manifestação de Jesus no antigo testamanto, a sua atuação hoje e no futuro, desde já agradeço.

  5. dr_irena

    gostaria que comentassem também a respeito da manifestação de Jesus no antigo testamanto, a sua atuação hoje e no futuro, desde já agradeço.

  6. Anonymous

    resumo tem que ser pequeno!

  7. vo kiko

    pera aee
    entao vcs estao achando que estamos no ceu
    No ceu onde prostitutas,pedofilos e varias pessoas que infligem a regra de Deus vivem normalmente como nada tivesse ocorrido.
    E ainda vcs tem a proesa de dizer que esse foi o plano Deus
    Pelo amor de Deus estuda um pouquinho da biblia e depois coloca alguma coisa que presta.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: